Vendas: (16) 3605 5599      0800 885 7600

Os perigos da hipertensão arterial


Data: 24/04/2019

Os perigos da hipertenso arterial

A doença atinge uma parcela cada vez maior da população e precisa de atenção

Na próxima sexta, 26 de abril, é celebrado o Dia Nacional de Combate à Hipertensão Arterial, uma doença que atinge aproximadamente 25% da população do país, segundo o Ministério da Saúde.

Uma estatística preocupante, que precisa de atenção. Por isso é tão importante informar e incentivar a prevenção e o controle da pressão alta.

A hipertensão é diagnosticada quando a pressão do paciente, medida várias vezes em um consultório médico, é igual ou superior a 140mmHg (pressão sistólica) por 90 mmHg (pressão diastólica), ou 14 x 9, como falamos popularmente.

Onde mora o perigo
A pressão alta acaba lesando os vasos sanguíneos. As artérias são recobertas internamente por uma camada muito fina e delicada que, quando o sangue circula com pressão muito alta, é machucada. Isso desencadeia uma reação inflamatória e a deposição de substâncias, inclusive colesterol. Com isso, os vasos vão se tornando endurecidos e estreitados e podem, com o passar dos anos, entupir ou romper, causando AVC (acidente vascular cerebral), enfarte, aneurisma arterial ou insuficiência renal e cardíaca.

Sintomas

O hipertenso pode viver anos com a doença sem sentir sintomas. Eles geralmente aparecem quando a pressão aumenta muito, e pode ser sinal que já danificou algum órgão vital.

Cefaleia, sangramento pelo nariz, tontura, rubor facial e cansaço são alguns dos sintomas associados à pressão alta.

Causas
A doença é herdada dos pais na grande maioria dos casos, mas existem outros fatores que podem fazer com que os vasos nos quais o sangue circula se contraiam e provoquem um aumento da pressão sanguínea. Os principais vilões são os maus hábitos de vida, como:
- Consumo excessivo de sal, alimentos gordurosos e álcool
- Sedentarismo
- Obesidade
- Estresse
- Tabagismo

Prevenção
A melhor forma de prevenir é evitar os fatores de risco citados acima, adotando um estilo de vida saudável.

Também é indicada a aferição regular da pressão, já que a doença muitas vezes não apresenta sintomas. Pessoas acima de 20 anos de idade devem medir a pressão ao menos uma vez por ano. Se houver casos de pressão alta na família, deve-se medir ao menos duas vezes por ano.

Tratamento
Hipertensão não tem cura, mas tem tratamento e é possível ter boa qualidade de vida seguindo o tratamento (com medicamento) indicado pelo médico e mudando hábitos de vida.

A Unimedapoia a causa e lançou uma campanha de combate à hipertensão, com cartaz, e-mail marketing, posts para redes sociais e outras peças informativas. Fez inclusive um podcast, que está disponível no Spotifye no Deezer. Para ouvir procure: “Como se prevenir da hipertensão?”.




Home
Notícias